Coleção L&PM E-books


SOBRE A MENTIRA (PRECEDIDO DE SOBRE A INSPIRAÇÃO POÉTICA) - Platão

SOBRE A MENTIRA (PRECEDIDO DE SOBRE A INSPIRAÇÃO POÉTICA)

O humor filosófico do jovem Platão

Sobre a Mentira e Sobre a Inspiração poética, conhecidos também como Hípias Menor e Íon, são dois dos quase trinta diálogos do jovem Platão (427-347 a.C.) que chegaram até nós. Neles, o principal discípulo de Sócrates usa de toda sua verve brincalhona e irônica para, como lhe é característico, transformar os mais simples debates sobre o ser humano e suas questões em deleitosos embates intelectuais. No primeiro diálogo, Sócrates e Hípias examinam o mérito de se saber mentir. Será que a capacidade de inventar fatos e manipular a realidade pode ser algo positivo? Já no segundo diálogo, Sócrates e Íon, um recitador profissional de poesias, discutem qual a melhor maneira de se apreciar uma obra literária.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    SOBRE A MENTIRA (PRECEDIDO DE SOBRE A INSPIRAÇÃO POÉTICA)

  • Catálogo:
    Coleção L&PM E-books
  • Gênero:
    Filosofia
    Literatura estrangeira
  • Série:
    Coleção 96 Páginas
  • eISBN:
    978.85.254.3525-5

Vida & Obra

Platão

Nasceu em Atenas por volta de 427 a.C., numa família aristocrática. Aos vinte anos, tornou-se discípulo de Sócrates (469-399 a.C.), sábio que vagava pela cidade incitando os jovens à reflexão. Depois da morte do mestre (executado por impiedade), viajou por cerca de doze anos, retornando a Atenas em 386, quando fundou sua escola, a Academia, à qual se dedicou até morrer, em 347, e onde formou, entre outros alunos, Aristóteles. Compôs mais de duas dezenas de diálogos, entre os quais se destaca...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


O humor filosófico do jovem Platão

Sobre a Mentira e Sobre a Inspiração poética, conhecidos também como Hípias Menor e Íon, são dois dos quase trinta diálogos do jovem Platão (427-347 a.C.) que chegaram até nós. Neles, o principal discípulo de Sócrates usa de toda sua verve brincalhona e irônica para, como lhe é característico, transformar os mais simples debates sobre o ser humano e suas questões em deleitosos embates intelectuais. No primeiro diálogo, Sócrates e Hípias examinam o mérito de se saber mentir. Será que a capacidade de inventar fatos e manipular a realidade pode ser algo positivo? Já no segundo diálogo, Sócrates e Íon, um recitador profissional de poesias, discutem qual a melhor maneira de se apreciar uma obra literária.

" />