Coleção L&PM E-books


BEM ESTÁ O QUE BEM ACABA

William Shakespeare

Tradução de Beatriz Viégas-Faria

Inspirada por uma história do Decamerão, de Giovanni Boccaccio, Bem está o que bem acaba tem como figura central uma beldade plebéia, Helena, que está apaixonada por Bertram, um nobre. Ao salvar a vida do rei graças a uma poção que lhe fora deixada pelo falecido pai, Helena conquista o direito – então inédito – de escolher (entre os homens solteiros da corte) um marido. Bertram, o escolhido, rejeita a idéia, mas, por se tratar de uma ordem real, casa, e no mesmo instante foge para a guerra. Com isso, a desdenhada noiva lança mão de toda a sua perspicácia para conquistar o marido.

Bem está o que bem acaba foi escrita entre 1601 e 1608, e é geralmente classificada como uma das comédias de William Shakespeare (1564-1616). Entretanto, trata-se de uma peça ambígua, que mescla elementos de contos de fadas com realismo, cinismo e até mesmo humor negro – e cuja trama não se resolve à maneira tradicional das comédias. Dotada de um ritmo acelerado, próprio dos textos cômicos, mostra toda a versatilidade do bardo: Shakespeare, à frente de seu tempo, teve a ousadia de escrever uma história que gira em torno de uma mulher com o poder de escolher o próprio marido e de decidir sobre o destino do seu amado.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    BEM ESTÁ O QUE BEM ACABA

  • Catálogo:
    Coleção L&PM E-books
  • Gênero:
    Teatro
    Literatura clássica internacional
  • Série:
    Shakespeare
  • eISBN:
    978.85.254.3056-4
  • Edição:
    outubro de 2013

Vida & Obra

William Shakespeare

Nasceu em Stratford-upon-Avon, Inglaterra, em 23 de abril de 1565, filho de John Shakespeare e Mary Arden. John Shakespeare era um rico comerciante, além de ter ocupado vários cargos da administração da cidade. Mary Arden era oriunda de uma família cultivada. Pouco se sabe da infância e da juventude de Shakespeare, mas imagina-se que tenha freqüentado a escola primária King Edward VI, onde teria aprendido latim e literatura. Em dezembro de 1582, Shakespeare casou-se com Ann...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Inspirada por uma história do Decamerão, de Giovanni Boccaccio, Bem está o que bem acaba tem como figura central uma beldade plebéia, Helena, que está apaixonada por Bertram, um nobre. Ao salvar a vida do rei graças a uma poção que lhe fora deixada pelo falecido pai, Helena conquista o direito – então inédito – de escolher (entre os homens solteiros da corte) um marido. Bertram, o escolhido, rejeita a idéia, mas, por se tratar de uma ordem real, casa, e no mesmo instante foge para a guerra. Com isso, a desdenhada noiva lança mão de toda a sua perspicácia para conquistar o marido.

Bem está o que bem acaba foi escrita entre 1601 e 1608, e é geralmente classificada como uma das comédias de William Shakespeare (1564-1616). Entretanto, trata-se de uma peça ambígua, que mescla elementos de contos de fadas com realismo, cinismo e até mesmo humor negro – e cuja trama não se resolve à maneira tradicional das comédias. Dotada de um ritmo acelerado, próprio dos textos cômicos, mostra toda a versatilidade do bardo: Shakespeare, à frente de seu tempo, teve a ousadia de escrever uma história que gira em torno de uma mulher com o poder de escolher o próprio marido e de decidir sobre o destino do seu amado.

" />