Coleção L&PM E-books


ANDY WARHOL

Mériam Korichi

Tradução de Celso Mauro Paciornik

“No futuro, cada um terá quinze minutos de fama.” (Andy Warhol)

Quando Andrew Warhola (1928-1987) chegou a Nova York em 1949, vindo da inóspita Pittsburgh, ele tinha 21 anos e uma obsessão:¬ tornar-se célebre. O jovem descendente de imigrantes logo fabricou Andy Warhol, este personagem midiático, adulado, controverso, que tudo queria e tudo fazia acontecer. Era pintor, escultor, fotógrafo. Era ator, homem de televisão, manequim. Era produtor de banda de rock, diretor de revista. Era dramaturgo, cineasta, romancista. Criou um universo, a legendária Factory, onde circulavam livremente drogas, sexo, artistas e vagabundos. Era um verdadeiro rebelde, genial, inventivo, underground. Por trás de sua peruca prateada, seu exibicionismo, escondia-se um criador exigente e frágil, cuja vida e obra formaram um espelho desencantado e cheio de humor. Mais que um personagem, tornou-se um mito. O inventor do Pop, o responsável pela última grande revolução da arte moderna.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    ANDY WARHOL

  • Catálogo:
    Coleção L&PM E-books
  • Gênero:
    Biografias
  • Série:
    Biografias
  • eISBN:
    978.85.254.2628-4

Vida & Obra

Mériam Korichi

Mériam Korichi, professora e doutora em filosofia, realiza pesquisas sobre ética contemporânea. Na Gallimard, na coleção “Folioplus Classiques”, publicou os dossiês críticos que acompanham as edições de L’Ile des esclaves e La Fausse Suivante, de Marivaux, Hamlet, de Shakespeare, L’Etranger e La Peste, de Albert Camus. Na coleção “Folioplus Philosophie”, acompanhou a edição de um extrato da correspondência de Espinoza com o título Lettres sur l...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


“No futuro, cada um terá quinze minutos de fama.” (Andy Warhol)

Quando Andrew Warhola (1928-1987) chegou a Nova York em 1949, vindo da inóspita Pittsburgh, ele tinha 21 anos e uma obsessão:¬ tornar-se célebre. O jovem descendente de imigrantes logo fabricou Andy Warhol, este personagem midiático, adulado, controverso, que tudo queria e tudo fazia acontecer. Era pintor, escultor, fotógrafo. Era ator, homem de televisão, manequim. Era produtor de banda de rock, diretor de revista. Era dramaturgo, cineasta, romancista. Criou um universo, a legendária Factory, onde circulavam livremente drogas, sexo, artistas e vagabundos. Era um verdadeiro rebelde, genial, inventivo, underground. Por trás de sua peruca prateada, seu exibicionismo, escondia-se um criador exigente e frágil, cuja vida e obra formaram um espelho desencantado e cheio de humor. Mais que um personagem, tornou-se um mito. O inventor do Pop, o responsável pela última grande revolução da arte moderna.

" />