Coleção L&PM Pocket


GERALDÃO – 1: EDIPÃO, SURFISTÃO E GRAVIDÃO

R$19,90

Geraldão é um personagem que definitivamente não toma jeito: mora com a mãe, não trabalha, vive de pileque, fuma sem parar e tem como namorada uma boneca inflável – e nem ela o leva a sério. Nessa primeira edição de suas aventuras, Geraldão faz análise (sem sucesso) para superar o complexo de édipo e inventa uma nova técnica para surfar sem sair de casa: adapta a tábua de passar roupa da mãe.

Como se suas tentativas de fazer alguma coisa da vida não fossem suficientemente hilárias – inclusive ficar gravidão –, Geraldão conta com a companhia do célebre Casal Neuras, que está todo o tempo discutindo a relação “em descabeladas cenas de ciúmes”. O outro personagem esquisitão é Van Grogue, o “ex-futuro gênio da pintura”, cujo brilhantismo ainda não foi descoberto por ninguém.  

Glauco, um dos grandes cartunistas do Brasil na atualidade, acentua o humor das tiras com um traço frenético que dá a Geraldão mais de dois braços para que ele possa segurar vários copos de cerveja e coloca em sua boca uns dez cigarros em média.

Glauco nasceu em Jandaia do Sul, no Paraná, em 10 de março de 1957. Mudou-se para Ribeirão Preto (SP) em 1976, e lá publicou seus primeiros trabalhos, no Diário da Manhã. Colaborou com várias revistas e jornais nacionais e, em 1984, começou a publicar na Folha de S. Paulo tiras do Geraldão (criado em 1981), do Casal Neuras, da Dona Marta e do Zé do Apocalipse. Atualmente publica a tira Doy Jorge na Folha.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    GERALDÃO – 1: EDIPÃO, SURFISTÃO E GRAVIDÃO

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Quadrinhos
    Humor
  • Série:
    Quadrinhos
  • Referência:
    549
  • Cód.Barras:
    9788525416032
  • ISBN:
    978.85.254.1603-2
  • Páginas:
    112

Vida & Obra

Glauco

Glauco Vilas Boas era paranaense, da cidade de Jandaia do Sul. Nasceu em 10 de março de 1957 e em 12 de março de 2010 foi tragicamente assassinado. Publicou sua primeira tira em 1976 no Diário da Manhã, de Ribeirão Preto. Foi premiado no Salão de Humor de Piracicaba e na 2ª Bienal de Humorismo y Gráfica de Cuba. Começou a colaborar na Folha de S. Paulo em 1979. Editou pela Circo Editorial, entre 1987 e 1989, a revista Geraldão. Nesse período também foi col...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Geraldão é um personagem que definitivamente não toma jeito: mora com a mãe, não trabalha, vive de pileque, fuma sem parar e tem como namorada uma boneca inflável – e nem ela o leva a sério. Nessa primeira edição de suas aventuras, Geraldão faz análise (sem sucesso) para superar o complexo de édipo e inventa uma nova técnica para surfar sem sair de casa: adapta a tábua de passar roupa da mãe.

Como se suas tentativas de fazer alguma coisa da vida não fossem suficientemente hilárias – inclusive ficar gravidão –, Geraldão conta com a companhia do célebre Casal Neuras, que está todo o tempo discutindo a relação “em descabeladas cenas de ciúmes”. O outro personagem esquisitão é Van Grogue, o “ex-futuro gênio da pintura”, cujo brilhantismo ainda não foi descoberto por ninguém.  

Glauco, um dos grandes cartunistas do Brasil na atualidade, acentua o humor das tiras com um traço frenético que dá a Geraldão mais de dois braços para que ele possa segurar vários copos de cerveja e coloca em sua boca uns dez cigarros em média.

Glauco nasceu em Jandaia do Sul, no Paraná, em 10 de março de 1957. Mudou-se para Ribeirão Preto (SP) em 1976, e lá publicou seus primeiros trabalhos, no Diário da Manhã. Colaborou com várias revistas e jornais nacionais e, em 1984, começou a publicar na Folha de S. Paulo tiras do Geraldão (criado em 1981), do Casal Neuras, da Dona Marta e do Zé do Apocalipse. Atualmente publica a tira Doy Jorge na Folha.

" />