Outros Formatos


OS SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER

DIE LEIDEN DES JUNGEN WERTHERS

Johann Wolfgang Goethe
Tradução, organização, prefácio, comentários e notas de Marcelo Backes

Um romance trágico sobre a juventude e a paixão

A literatura alemã divide-se em antes e depois de Os sofrimentos do jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832). Publicado anonimamente em 1774, o romance epistolar foi inspirado em fatos da vida do autor, que então contava 24 anos e escrevera a obra em poucas semanas. Com Werther, Goethe, então parte do movimento literário protorromântico Sturm und Drang (“tempestade e ímpeto”), alcançou sucesso imediato e, de quebra, deu início à prosa moderna na Alemanha.

O romance conta a história de Werther, um jovem aspirante a artista que, em cartas a seu amigo Wilhelm, relata sua estada no vilarejo rural de Wahlheim, onde é cativado pela vida simples dos camponeses. Lá ele conhece a bela Charlotte, por quem se apaixona perdidamente – mas a jovem já está comprometida com um homem bem mais velho que Werther.

Não se trata, simplesmente, de um romance em cartas como A nova Heloísa de Rousseau ou Pamela de Richardson. Esta que é uma das mais conhecidas obras de Goethe é o romance de uma alma, um refinado relato de uma deterioração psicológica. Trágica e arrebatadora, é a história de uma paixão devastadora. Com enorme repercussão quando de seu lançamento, Werther foi testemunho do poder de a literatura agir na sociedade: não foram poucos os suicídios atribuídos à leitura do romance. Tendo influenciado toda a literatura posterior, hoje a prosa goethiana segue impressionante em sua capacidade de representar o indivíduo internamente dilacerado.

 

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    OS SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER

  • Título Original:
    DIE LEIDEN DES JUNGEN WERTHERS
  • Catálogo:
    Outros Formatos
  • Gênero:
    Literatura clássica internacional
    Romance
  • Cód.Barras:
    9786556661537
  • ISBN:
    978.65.566.6153-7
  • Páginas:
    176
  • Edição:
    abril de 2021

Vida & Obra

Johann Wolfgang Goethe

Johann Wolfgang von Goethe (Frankfurt am Main, 28 de agosto de 1749 – Weimar, 22 de março de 1832) foi o mais notável poeta da Alemanha e um dos maiores gênios de toda a literatura. O jovem Goethe estudou nas universidades deLeipzig e Estrasburgo. Em 1772 começou a praticar advocacia em Wetzlar. Por convite do duque Karl August, em 1775 passou a morar em Weimar, onde foi responsável por vários cargos políticos, tornando-se o principal conselheiro do duque. De 1786 a 1788,...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Um romance trágico sobre a juventude e a paixão

A literatura alemã divide-se em antes e depois de Os sofrimentos do jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832). Publicado anonimamente em 1774, o romance epistolar foi inspirado em fatos da vida do autor, que então contava 24 anos e escrevera a obra em poucas semanas. Com Werther, Goethe, então parte do movimento literário protorromântico Sturm und Drang (“tempestade e ímpeto”), alcançou sucesso imediato e, de quebra, deu início à prosa moderna na Alemanha.

O romance conta a história de Werther, um jovem aspirante a artista que, em cartas a seu amigo Wilhelm, relata sua estada no vilarejo rural de Wahlheim, onde é cativado pela vida simples dos camponeses. Lá ele conhece a bela Charlotte, por quem se apaixona perdidamente – mas a jovem já está comprometida com um homem bem mais velho que Werther.

Não se trata, simplesmente, de um romance em cartas como A nova Heloísa de Rousseau ou Pamela de Richardson. Esta que é uma das mais conhecidas obras de Goethe é o romance de uma alma, um refinado relato de uma deterioração psicológica. Trágica e arrebatadora, é a história de uma paixão devastadora. Com enorme repercussão quando de seu lançamento, Werther foi testemunho do poder de a literatura agir na sociedade: não foram poucos os suicídios atribuídos à leitura do romance. Tendo influenciado toda a literatura posterior, hoje a prosa goethiana segue impressionante em sua capacidade de representar o indivíduo internamente dilacerado.

 

" />