em 


Opções Avançadas

Notícias

 

24/10/2007

Clô dias & noites, de Sérgio Jockymann, é adaptado para o cinema

Por L&PM Editores

O romance Clô dias & noites, de Sérgio Jockymann, publicado em 1982 pela L&PM Editores, é agora lançado na Coleção L&PM Pocket. A história real de Clotilde, uma mulher que após ser humilhada pelo marido e perder a guarda dos filhos inicia uma árdua luta pelos direitos femininos, também tem data marcada para estrear no cinema: março de 2008. No elenco principal, Antonio Calloni, Naura Schneider (nas fotos abaixo), Dan Stulbach, Zé Victor Castiel e José de Abreu. Jockymann, grande dramaturgo e autor de novelas como O machão, ainda não teve oportunidade de assistir ao filme, mas afirma: “Sei que foi feito com muita paixão. Estou tão curioso quanto qualquer espectador”. No momento, o escritor trabalha simultaneamente em dois livros: O senhor governador e sua excelentíssima esposa, sobre um capítulo negro da história gaúcha, e A lei da selva, sobre a violência urbana.

A história de Clô se passa durante os anos 1960, em plena ditadura militar brasileira. A repressão política estendia suas conseqüências para os diversos planos da vida social – mesmo as relações familiares eram influenciadas pelo autoritarismo. É neste contexto que a protagonista Clô (interpretada por Naura Schneider, também produtora do filme) percorre sua trajetória, em busca de sua liberdade e de seus direitos, depois de ser vítima de agressões físicas e morais por parte do marido. A guarda de seus dois filhos e sua plenitude como mulher são seus principais objetivos.

Embora dialogue com o período em que se passa, a história de Clô poderia ser perfeitamente ambientada nos anos 2000 – a violência contra a mulher, ao contrário da ditadura militar, não se localiza historicamente em décadas passadas, mas perpassa regimes políticos e modismos ideológicos para consolidar-se como um problema crônico da sociedade brasileira. Clô é precursora da luta pelos direitos femininos em meio à repressão. Mesmo com a proximidade temática, Jockymann analisa que o Rio Grande do Sul retratado no romance mudou muito: “Uma certa áurea de romantismo que a cidade possuía se foi. Na verdade estamos ficando cada vez mais pobres e a pobreza nunca é bonita.”

As filmagens de Dias e Noites aconteceram nas cidades de Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul, e Porto Alegre.

Dias e noites – O FILME

Sinopse

Atravessando três décadas, a história mostra a trajetória de uma mulher que, ao casar com um rico fazendeiro, se depara com uma realidade conjugal quase insustentável. Clotilde foi uma mulher que viveu à frente de sua época e não se conformava com o tratamento que recebia do marido. Sofrendo agressões físicas e morais, ela saiu de casa, tornando-se, na década de 60, uma mulher “desquitada” – mal vista pela sociedade. Após perder todos seus direitos e a guarda dos filhos, Clô resolve iniciar uma longa luta para recuperá-los.

Argumento

Clotilde casa-se com o proprietário rural Pedro Dias Ramão (Antonio Calloni). Seus sonhos se desfazem frente ao temperamento violento do marido. A relação entre os dois se complica quando ela dá luz a uma menina, Joana. Supersticioso, Pedro convoca a ajuda de Siá Firmina, parteira que diz garantir o nascimento de um filho homem. Com o nascimento de Manoel, as expectativas de Pedro são atendidas. Entretanto, a relação entre o casal segue a se deteriorar. Continuamente desrespeitada, Clotilde foge de casa. É acolhida por sua avó, que a protege e a aconselha. Buscando reaver a guarda dos filhos, ela se deixa envolver por Motta, advogado que promete intervir em seu favor.

Na conservadora sociedade dos anos 60, uma mulher descasada é vista como cortesã ou prostituta. Mas o Brasil está se transformando. Com o movimento pela legalidade e o golpe de 64, os caminhos de Clotilde cruzam-se com os de seu irmão caçula, Afonsinho. Apresentada a um rico industrial chamado Felipe (Dan Stulbach), Clotilde se apaixona. Pouco a pouco, Clô se dá conta de que ele não deseja um envolvimento mais sério.

Com o falecimento da avó, Clotilde descobre-se desamparada. É quando surge Aires de Lucena, homem de posses que lhe oferece vantagens econômicas. Trata-se de um acordo de conveniência, mas Clotilde descobre em Aires o amigo que lhe faltou. Chega ao seu conhecimento a notícia de que sua filha é continuamente agredida pelo marido. Disposta a não permitir que Joana repita sua trajetória, Clotilde busca uma reconciliação. Mas o encontro entre as duas terá um desfecho surpreendente.

Personagens principais

Clotilde – A protagonista, interpretada pela atriz Naura Schneider, é uma mulher à frente de seu tempo, precursora das lutas pelos direitos da mulher durante a ditadura militar brasileira. Violentada pelo marido, sai de casa em busca de sua liberdade.

Pedro – É o marido de Clotilde, um rico fazendeiro que abusa de sua autoridade nas relações familiares. Tal qual um ditador, impõe sua vontade à esposa, seja através da fala violenta ou de agressões físicas. É interpretado pelo ator Antonio Calloni.

Motta – Advogado interpretado pelo ator Zé Victor Castiel. Conhece Clô na delegacia onde ela presta queixa contra o marido Pedro, e apaixona-se por ela. Mesmo não correspondendo, Clô envolve-se com Motta, que é famoso pela falta de ética e pelo materialismo. Em um momento de dificuldade financeira, ele “vende” a amada para Felipe.

Felipe – Rico industrial por quem Clô se apaixona, mas que não a corresponde em seus sentimentos. Mais tarde, ela descobre que Felipe esteve envolvido com o golpe militar que instaurou a ditadura no país. Vivido pelo ator Dan Stulbach.

Aires – Homem de posses, interpretado pelo ator José de Abreu, com quem Clô faz um acordo de conveniência para obter vantagens econômicas. Além de prover-lhe de suas necessidades, Aires acaba se tornando seu grande amigo.

Equipe principal

Direção: Beto Souza
Roteiro: Lulu Silva Telles
Produção executiva: Naura Schneider, Beto Rodrigues e Aletéia Selonk
Diretor de Fotografia: Renato Falcão
Direção de Arte: Voltaire Danckwart
Montagem: Fábio Lobanowski
Figurino: Adriana Borba
Maquiagem: Nancy Marignac
Som: André Sittoni
Direção de Produção: Taissa Grisi
Produção de Elenco: Nora Carús
Realização: Panda Filmes, Okna Produções, Voglia Produções e Film Factory do Brasil.
Co-Produção: Quanta

voltar ir para o topo   imprimir página
 

Home    Quem Somos    Notícias    Mapa do Site    Fale Conosco    Podcast L&PM

Rua Comendador Coruja, 314 - Fone: (51) 3225.5777 - Fax: (51) 3221.5380 - Porto Alegre/RS - CEP 90220-180
Alameda Santos, 1470, cj 310 - Cerqueira César - Fone: (11) 3578.6606 - São Paulo/SP - CEP 01418-903

© 2003-2018 Publibook Livros e Papeis Ltda. - CNPJ 87.932.463/0001-70 - Powered by CIS Manager   Desenvolvido por Construtiva