em 


Opções Avançadas

Notícias

 

06/07/2010

Adeus a Roberto Piva, o profeta da desordem, o rebelde poeta brasileiro

Por L&PM Editores

Roberto Piva se foi aos 72 anos. Em 1985, a L&PM publicou na Coleção Olho da Rua, sua Antologia Poética. Nela, estão reunidos seus versos mais pungentes, entre eles, o poema de alma beat Paranóia em Astrakan. Nas últimas páginas da edição já esgotada, Piva escreveu uma pequena autobiografia que reproduzimos, em parte, aqui. Para que assim todos possam conhecer um pouco desse poeta que, na década de 1960, foi chamado de “profeta da desordem”. Roberto Piva morreu no último sábado, 3 de julho, em São Paulo. Sofria de Mal de Parkison, estava internado no Instituto do Coração desde o dia 13 de maio e, durante a internação, acabou descobrindo um câncer de próstata. Em homenagem a ele, também publicamos em nosso blog um texto especialmente escrito por Claudio Willer.

"Nasci na maternidade Pró-Matre no coração de São Paulo há 46 anos. Piva é um antigo nome de Veneto (Itália do Norte). Meu avô era de Saleto, perto de Rovigo. O Livro da Família, que tinha lá em casa, conta a história de um antepassado cavaleiro que combateu nas Cruzadas. (...) Mas em matéria de revolta eu não preciso de antepassados. A minha vida & poesia tem sido uma permanente insurreição contra todas as Ordens. Sou uma sensibilidade antiautoritária atuante. Prisões, desemprego permanente, epifanias, estudo das línguas, LSD, cogumelos sagrados, embalos, jazz, rock, paixões, delírios & todos os boys. O cinema holandês informará. (...) Pasolini começou a contagem regressiva do nosso planeta a partir do desaparecimento dos vagalumes na Itália. Eu poderia começar a mesma contagem regressiva a partir do desconhecimento & desaparecimento da abelha Jataí no Brasil. Acredito que, para a defesa do nosso planeta, as melhores ideias, como disse Edgar Morin, são as ideias “biodeagradaveis”. Uma tarde, numa ilha esquecida do litoral sul de São Paulo, um garoto com olhos de Afrodite me perguntou no que eu acreditava. Respondi: Amor, Poesia & Liberdade. E nos Óvnis também.”

ROBERTO PIVA
Iguape (SP) Fevereiro de 85
Hora Cósmica do Leopardo


Paranóia em Astrakan

Eu vi uma linda cidade cujo nome esqueci
             onde anjos surdos percorrem as madrugadas tingindo
                       seus olhos com lágrimas invulneráveis
             onde as crianças católicas oferecem limões para
                       pequenos paquidermes que saem escondidos das tocas
             onde adolescentes maravilhosos fecham seus cérebros
                       para os telhados estéreis e incendeiam internatos
             onde manifestos nihilistas distribuindo pensamentos
                       furiosos puxam a descarga sobre o mundo
             onde um anjo de fogo ilumina os cemitérios em
                       festa e a noite caminha no seu hálito
             onde o sono de verão me tomou por louco e decapitei
                       o Outono de sua última janela
             onde o nosso desprezo fez nascer uma lua
                       inesperada no horizonte branco
             onde um espaço de mãos vermelhas ilumina aquela
                       fotografia de peixe escurecendo a página
             onde borboletas de zinco devoram as góticas
                       hemorróidas das beatas
             onde as cartas reclamam drinks de emergência
                       para lindos tornozelos arranhados
             onde os mortos se fixam na noite e uivam por
                       um punhado de fracas penas
             onde a cabeça é uma bola digerindo os aquários
                       desordenados da imaginação

voltar ir para o topo   imprimir página
 

Home    Quem Somos    Notícias    Mapa do Site    Fale Conosco    Podcast L&PM

Rua Comendador Coruja, 314 - Fone: (51) 3225.5777 - Fax: (51) 3221.5380 - Porto Alegre/RS - CEP 90220-180
Alameda Santos, 1470, cj 310 - Cerqueira César - Fone: (11) 3578.6606 - São Paulo/SP - CEP 01418-903

© 2003-2020 Publibook Livros e Papeis Ltda. - CNPJ 87.932.463/0001-70 - Powered by CIS Manager   Desenvolvido por Construtiva