em 


Opções Avançadas

Vida & Obra

 

Livros do Autor



24 HORAS NA VIDA DE UMA MULHER

Stefan Zweig
Tradução de Lya Luft

Coleção L&PM Pocket
Ref. 589
112 páginas
ISBN 978.85.254.1537-0
Também em e-book

R$ 13,90



24 HORAS NA VIDA DE UMA MULHER

Stefan Zweig

Tradução de Lya Luft

Coleção L&PM E-books
Formato ePub
ISBN 978.85.254.2915-5

R$ 11,90



BRASIL, O PAÍS DO FUTURO

Stefan Zweig

Prefácio de Alberto Dines

Coleção L&PM E-books
Formato ePub
ISBN 978.85.254.2893-6

R$ 13,90



BRASIL, UM PAÍS DO FUTURO

Stefan Zweig
Prefácio de Alberto Dines

Tradução de Kristina Michahelles

Coleção L&PM Pocket
Ref. 542
264 páginas
ISBN 978.85.254.1593-6
Também em e-book

R$ 22,90



MEDO E OUTRAS HISTÓRIAS

Stefan Zweig
Tradução de Lya Luft e Pedro Süssekind

Coleção L&PM Pocket
Ref. 567
224 páginas
ISBN 978.85.254.1228-7

R$ 19,90

Stefan Zweig

Cronologia

1881 – Stefan Zweig nasce em Viena no dia 28 de novembro, na rua Schottenring, número 14, segundo filho do fabricante de têxteis da Boêmia Moritz Zweig (1845-1926) e de Ida Zweig, nascida Brettauer (1854-1938).

1887-1892 – Escola primária na Werdertorgasse.

1892-1900 – Segundo grau no Maximiliangymnasium (mais tarde, Wasagymnasium). A família se muda para a Rathausstrasse, número 17. Até 1900, escreveu algumas centenas de poemas, dos quais alguns foram publicados em “Deutsche Dichtung” e “Die Gesellschaft”. Depois da conclusão da escola, viagem para a França.

1900 – Zweig começa a estudar Filosofia e História da Literatura na Universidade de Viena.

1901 – Primeiro livro publicado: Silberne Saiten (Cordas prateadas), poemas, editora Schuster & Loeffler, Berlim.

1902 – Primeira colaboração para o caderno cultural da “Neue Freie Presse”, Viena (o conto Die WanderungA caminhada). Publicação dos Poemas de Paul Verlaine, uma antologia das melhores traduções (Schuster & Loeffler, Berlim). Os poemas em prosa, de Baudelaire, traduzidos por Zweig e Camill Hoffmann, saem publicados com uma introdução de Zweig. No verão, viagem para a Bélgica, primeiro encontro com o poeta Emile Verhaeren.

1902-1903 – Um semestre na universidade de Berlim.

1903 – Introdução do livro E.M. Lilien, sua obra, Schuster & Loeffler, Berlim. No verão, primeira viagem a Paris e estadia na Bretanha.

1904 – Conclusão dos estudos universitários com a dissertação A filosofia de Hipólito Taine. Primeiro volume de novelas, O amor de Érika Ewald, Egon Fleschel, Berlim. Os Poemas selecionados de Verhaeren saem na tradução de Zweig, editora Schuster & Loeffler, Berlim. Viagens para Paris e Londres.

1905 – Viagem para a Espanha e a Argélia. Monografia Paul Verlaine, Schuster & Loeffler, Berlim.

1906 – Sai o volume de poemas Die frühen Kränze, primeira obra de Zweig na editora Insel, Leipzig. Zweig passa quatro meses na Inglaterra. Sai a tradução de A.G.B. Russell, A filosofia de arte visionária de William Blake, editora Julius Zeitler, Leipzig.

1907 – Em fevereiro, mudança para o primeiro apartamento próprio, Viena, Kochgasse. Drama em poema Tersitese Rimbaud: vida e poesia (traduções de Karl Klammer, com introdução de Zweig), editora Insel.

1908Balzac: sua visão do mundo através das obras, coordenação e introdução de Zweig, editora Robert Lutz, Stuttgart. Estréia Tersites em 26 de novembro em Dresden e Kassel.

1908-1909 – Em novembro, início de uma viagem de cinco meses para Índia, Ceilão e Burma.

1910 – A monografia Emile Verhaeren e dois volumes de traduções de sua obra (Poemas selecionados e Três dramas) saem pela editora Insel, Leipzig, bem como o ensaio sobre Dickens, introdução das obras completas do autor.

1911 – Viagem para a América: Nova York, Canadá, canal do Panamá, Cuba, Porto Rico. Erstes Erlebnis – Vier Novellen aus Kinderland, dedicado a Ellen Key, sai pela editora Insel, assim como a tradução dos Hinos à vida, de Verhaeren.

1912 – Zweig organiza para Verhaeren uma turnê de leituras e o acompanha para Hamburgo, Berlim, Viena e Munique. Em 5 de maio, estréia da peça em um ato Der verwandelte Komödiant (O comediante transformado). Em 26 de outubro, estréia do drama Das Haus am Meer (A casa ao mar), em Viena. Zweig conhece Friderike Maria von Winternitz (1882-1971).

1913O comediante transformado, a tradução de Rubens, de Verhaeren, e a novela Segredo ardente saem pela editora Insel, Leipzig.

1914 – A mobilização para a guerra, em julho, surpreende Zweig quando está visitando Verhaeren, na Bélgica. Ele consegue voltar para Viena no último trem. Em 12 de novembro, é recrutado como “voluntário” para trabalhar em Klosterneuburg; a partir de 1º de dezembro, no arquivo de guerra.

1915 – Em julho, viagem a serviço para a Galícia recém-libertada.

1916 – Muda-se com Friderike para Kalksburg, perto de Rodaun.

1916-1917 – Dá entrada para comprar a casa na montanha Kapuzinerberg, em Salzburg.

1917 – O drama pacifista Jeremias é publicado pela editora Insel. Em 5 de novembro, Zweig recebe licença para uma viagem de dois meses para fazer palestras na Suíça. Com Friderike, conhece Max Reinhardt nos ensaios de Jeremias e visita Romain Rolland em Villeneuve e na sede da Cruz Vermelha em Genebra.

1917-1918 – Encontros com Fritz von Unruh, Hermann Hesse, James Joyce, Ferruccio Busoni e Annette Kolb. Novas amizades do grupo pacifista de Genebra: Baudouin, Masereel, Debrit, Arcos, Jouve e os suíços Faesi e Ragaz. Tradução do romance de Rolland, Clérambault, e o drama Os tempos virão. No dia 27 março, estréia mundial de Jeremias no teatro municipal de Zurique. Estréia do drama Lenda de uma vida, em 25 de dezembro, em Hamburgo.

1919 – No final de março, volta para a Áustria e mudança para a casa em Salzburg, na Kapuzinerberg. Fahrten e Die Zeit wird kommen saem pela editora E.P. Tal, Leipzig – Viena. O Emile, de Rousseau, sai com tradução e introdução de Zweig pela editora Kiepenheuer, de Potsdam.

1920 – Em janeiro, casa-se com Friderike von Winternitz. Publicações pela editora Insel: Marceline Desbordes-Valmore, o conto “Der Zwang”, com dez xilogravuras de Frans Masereel, e o volume de ensaios Três mestres (Balzac, Dickens, Dostoievski) como primeira parte da série “Construtores do Mundo”. A tradução do Cressida, de Suarès, sai pela editora E.P. Tal, Leipzig – Viena. No final do ano, sai a biografia Romain Rolland, o homem e sua obra, pela editora Rütten & Loening, Frankfurt am Main.

1921 Dostoievski: romances e novelas, introdução de Zweig, editora Insel.

1922 Amok, novela de uma paixão, Insel, Leipzig. Paul Verlaine: obras completas, Insel, Leipzig. Die Augen des ewigen Bruders, Insel. Clérambault, de R. Rolland, tradução de Zweig, Rütten & Loening, Frankfurt am Main.

1923 Sainte-Beuve, retratos literários, em dois volumes, introdução de Zweig, Frankfurter Verlagsanstalt.

1924Chateaubriand: contos românticos, revisão de uma tradução antiga, Rikola Verlag, Viena-Leipzig-Munique. Poemas reunidos, Insel, Leipzig.

1925 Introdução das Memórias de uma juventude, de Renan (Frankfurter Verlagsanstalt), e de O mundo segundo Dostoievski, de Hans Prater (Bogmeyer, Hildesheim). O volume de ensaios A luta com o demônio (Hölderlin, Kleist, Nietzsche) sai pela editora Insel como segunda parte da série “Construtores do mundo”. Em novembro, durante uma curta temporada em Marselha, Zweig faz uma adaptação livre de Volpone, de Ben Johnson.

1926 Volpone sai pela editora Kiepenheuer, Potsdam. Junto com Gorki e Duhamel, Zweig publica o Líber amicorum Romain Rolland, Rotapfel, Zurique. O volume de novelas Confusão de sentimentos, Insel, Leipzig, vende trinta mil exemplares até o final do ano. Estréia de Volpone, no Burgtheater; em seguida a peça é encenada em Dresden e Berlim.

1927 – Em 20 fevereiro, fala comemorativa Adeus de Rilke, no Staatstheater, em Munique. Zweig ocupado com os ensaios biográficos sobre Casanova, Stendhal e Tolstoi, Três mestres (Drei Dichter ihres Lebens). Momentos estelares da humanidade, cinco miniaturas históricas, Insel. A fuga para Deus, epílogo para um drama inacabado de Tolstói, publicado por Felix Bloch Erben, Berlim. A editora Vremia, de Leningrado, publica as Obras completas em dez volumes com um prefácio de Maxim Gorki.

1928 – Stefan Zweig, der Mann und das Werk, biografia de Erwin Rieger, sai pela editora Spaeth, de Berlim. Três mestres sai pela Insel, de Leipzig, terceiro volume da série “Construtores do Mundo”. Qüiproquó (mais tarde: A ocasião faz o amor), comédia escrita com Alexander Lernet-Holenia sob o pseudônimo de Clemens Neydisser. Em setembro, viagem para a Rússia por ocasião do centenário de nascimento de Tolstói.

1929 – Saem pela editora Insel, de Leipzig: Joseph Fouché, retrato de um homem político, O cordeiro do pobre (tragicomédia) e Pequena crônica (novela). Fala por ocasião do falecimento do poeta Hugo von Hoffmansthal, no Burgtheater de Viena.

1930 – Em janeiro, viagem à Itália, visita a Maxim Gorki, em Sorrento. Dia 15 de março, estréia O cordeiro do pobre em Breslau, Hannover, Lübeck e Praga, em 12 de abril, no Burgtheater de Viena.

1931 – Viagem à França, encontro com Joseph Roth em Cap d’Antibes, Zweig ocupado com a biografia de Maria Antonieta. A cura através do espírito (ensaios sobre Mesmer, Mary Baker-Eddy, Freud) sai pela editora Insel, de Leipzig, bem como os Poemas selecionados. No verão, Zweig trabalha em um romance (Postfräuleingeschichte), que permanece inacabado. Maria Antonieta é publicado pela Insel, Leipzig. Em novembro, viagem para a Alsácia. É publicado Albert Schweitzer, uma vida exemplar.

1933 – Grande queima de livros pelos nazistas em Berlim, entre eles alguns também de Stefan Zweig. A partir de 20 de outubro, primeira temporada longa em Londres.

1934 – Depois dos combates em Viena entre polícia e socialistas, a casa de Zweig em Salzburg é vasculhada atrás de armas escondidas, o que acelera a mudança definitiva para Londres. Friderike fica na Áustria. Triunfo e tragédia de Erasmo de Roterdã sai pela editora Herbert Reichner, de Viena. Lotte Altmann (que vai a Londres em 1933 como refugiada) torna-se sua secretária. Zweig viaja com ela para a Escócia para preparar a biografia de Maria Stuart.

1935 – Em janeiro, viagem de navio para os Estados Unidos com Toscanini e Shalom Asch para palestras e negociações com editoras. A tradução da peça Non si sa come de Pirandello (1934), feita a pedido do autor para Alexander Moisi, sai pela editora Reichner, de Viena. Moissi morre em março antes do início dos ensaios. Estréia da ópera A mulher silenciosa, de Richard Strauss (libreto de Zweig), em Dresden, em 24 de junho. Depois de três apresentações, a peça é proibida. Em outubro sai Maria Stuart pela editora Reichner, de Viena.

1936 – Em março, mudança para um apartamento mais amplo em Londres, na Hallam Street. Castellio contra Calvino e Caleidoscópio (contos reunidos em dois volumes) saem pela editora Reichner, de Viena. Em agosto, primeira viagem para o Brasil, depois para a Argentina, para a reunião do PEN Clube em Buenos Aires.

1937 – A editora Reichner, de Viena, publica a coleção com memórias e ensaios Encontros com pessoas, livros, cidades, a novela Der begrabene Leuchter e o conto A ressurreição de Georg Friedrich Händel.

1938 – Em janeiro, Friderike se muda com sua filha mais nova para Paris, enquanto Zweig viaja com Lotte para Portugal para colher material para Fernão de Magalhães. Fernão de Magalhães sai pela editora Reichner, de Viena. No final de dezembro, divórcio e pedido de cidadania britânica; partida para os Estados Unidos para palestras em trinta cidades.

1939 – Pouco antes da invasão alemã em Praga, Zweig volta para Londres. Seu único romance, Coração impaciente, atinge logo elevadas tiragens na editora Cassells, de Londres, e sai em alemão pela editora Allert de Lange, de Amsterdã, e Bermann-Fischer, Estocolmo. Fala comemorativa por ocasião do falecimento de Joseph Roth, em maio. Em julho, mudança para Bath, onde logo depois do início da guerra Zweig se casa com Lotte e compra uma casa. Em 29 de junho, “Palavras ao pé do túmulo de Sigmund Freud”, em Londres.

1940 – Em 12 de março, Zweig recebe a cidadania britânica. Em abril, viagem para Paris. Em julho, viagem com Lotte para Nova York, primeira etapa de uma turnê de palestras pela América do Sul.

1941 – Zweig volta para New Haven, escreve Américo Vespúcio – História de um erro histórico (publicado postumamente em 1944 pela editora Bermann-Fischer, Estocolmo). Brasil, um país do futuro sai quase simultaneamente no Rio e em Portugal, em alemão pela Bermann-Fischer e em inglês pela Viking, Nova York. Além disso, ainda são publicadas edições em espanhol, em sueco e em francês em Nova York. No verão, Zweig aluga uma mansão em Ossining, em Nova York, onde termina o esboço de sua autobiografia, antes de voltar para o Brasil em agosto, de navio. Depois de algumas semanas no Rio, Zweig e Lotte se mudam para Petrópolis, alugam um pequeno bangalô, onde, entre outros trabalhos, escreve a novela Xadrez e um estudo sobre Montaigne. Em novembro, completa sua autobiografia O mundo que eu vi e a envia para Bermann-Fischer. Sua depressão cresce em vistas da situação da guerra, principalmente em dezembro, depois do ataque a Pearl Harbour e o ingresso da América na guerra.

1942 – Depois da notícia da queda de Cingapura, Zweig volta deprimido do carnaval no Rio para Petrópolis, toma a decisão do suicídio e começa a preparar esse ato. A novela Xadrez é enviada para a editora G.B. Fischer, em Nova York. No dia 22 de fevereiro, Zweig se suicida junto com Lotte. Segue-se um enterro com honras de Estado no cemitério de Petrópolis. Primeira edição em alemão da novela Xadrez pela editora Pigmalion, de Buenos Aires. O mundo que eu vi sai pela editora Bermann-Fischer, de Estocolmo.

Fonte: trecho de Brasil, um país do futuro, de Stefan Zweig

Vídeos Relacionados

Opinião do Leitor

Deixe seu depoimento sobre o autor

voltar ir para o topo   imprimir página
 

Home    Quem Somos    Notícias    Mapa do Site    Fale Conosco    Podcast L&PM

Rua Comendador Coruja, 314 - Fone: (51) 3225.5777 - Fax: (51) 3221.5380 - Porto Alegre/RS - CEP 90220-180
Alameda Santos, 1470, cj 310 - Cerqueira César - Fone: (11) 3578.6606 - São Paulo/SP - CEP 01418-903

© 2003-2018 Publibook Livros e Papeis Ltda. - CNPJ 87.932.463/0001-70 - Powered by CIS Manager   Desenvolvido por Construtiva